«

»

Abr 01

Elaborar um plano de negócio: estrutura e conselhos

Elaborar um plano de negócio é o passo mais importante na hora de criar a sua empresa. Para se poder levar a cabo um projecto é preciso, antes de tudo, uma grande planificação e, trás cada passo, um período de reflexão.

Como a improvisação não é um bom aliado, o Business Plan é uma das partes fundamentais na que se deve apoiar o seu sonho.  Portanto, se quer que a sua start-up entre em The Unicorn Club, fique a saber o que deve fazer para elaborar um plano de negócio em condições, que tenha toda a informação necessária para levar a sua empresa ao sucesso.

Elaborar um plano de negócio: Primeiras noções

 

Há duas perguntas básicas que deve responder no início: quem deve fazer o documento? Como deve estar estruturado o texto no plano? Relativamente à primeira pergunta, o documento deve ser feito pelos sócios, já que desta forma está garantido a implicação de todas as partes.

No que respeita à estrutura, há que ter em conta que o seu formato deve ser simples, já que este pode ser apresentado a outras pessoas. Grande parte estabelecem uma ordem cronológica do que se deve fazer ao criar uma empresa. Este deve ter um índice com todos os aspectos do negócio. De qualquer modo, todo Business Plan deve conter:

  • Resume do projecto;
  • Analise da ideia de negócio;
  • Explicação do produto ou serviço.

Assim, nos apoiaremos nas suas áreas mais importantes, indicando todos os processos que há que realizar para cada uma.

Elaborar um plano de negócio: Área de compra e fabricação

 

O que precisa adquirir para colocar em funcionamento o seu projecto? Aonde vai comprar as matérias-primas? Estas devem ser as suas primeiras perguntas quando comece a elaborar um plano de negócio. A estimação de matérias-primas e o seu custo são fundamentais para poder levar cabo o seu projecto.

Por isso, é preciso encontrar os fornecedores mais apropriados para si, já que não só lhe proporcionaram o material necessário para o inicio da sua empresa, como também para o seu regular funcionamento no futuro.

Deste modo, deve criar uma lista de fornecedores e dividi-los segundo um critério objetivo: prioridade, tipo de produto, frequência com que compra, etc., Não importa a quantidade de fornecedores desde que tenha sob controlo tudo.

Capacidade de produção

Para manter o funcionamento da sua empresa, precisa de saber qual é a sua capacidade real de produção. Isto é, quanto demora em gerar o suficiente valor ou riqueza para, como mínimo, a sua empresa suportar os diferentes gatos. Assim sendo, deve prestar muita atenção a sua gestão de stock. Todos os produtos que fiquem no armazém, à espera de serem vendidos, é dinheiro que não vemos de volta até serem vendidos.

Nota: aqui tens diferentes modelos para um plano de negócio diversificado pelo tipo de projecto que quer empreender.

Elaborar um plano de negócio: Área de organização de recursos humanos

 

A equipa que entra no projecto pode fazer com que este chegue longe ou, pelo contrário, que não avance. Por isso, vamos a dar-lhe algumas indicações para que escolhas a melhor equipa possível. Ao elaborar um plano de negócios deve ter em conta este aspecto: terá de deixar sair o melhor stakeholder que leva dentro para caçar aos melhores talentos.

Organigrama

Saber quem é e que posição ocupa é fundamental na vida. No trabalho, isto não seria excepção e, por isso, um organigrama no que esteja indicado a escala de mando, ajudará a compreender tanto a dimensão da empresa como o trabalho de cada um dos integrantes.

Descrição das funções diretivas

Se a sua empresa nasce com o suficiente peso, a responsabilidade dos integrantes deve ficar bem delimitada. As duplicidades das tarefas costumam ser mais problemáticas que sinergias. Estes são alguns dos postos de trabalho que habituam ocupar os directivos:

  • Chief Executive Officer (CEO). Conhecido também como Director Executivo, carrega com a máxima responsabilidade da gestão e direcção administrativa da empresa. Costuma ser o fundador e quem estabelece a missão da empresa. Em MaximumMedia, o Alex Sepulveda, é quem ocupa este lugar.
  • Chief Operating Officer (COO). Supervisiona as operações da empresa para comprovar que todos os sistemas funcionam de forma adequada. Outro termo pelo que é conhecido é o Director de Operações. Eduardo Sepulveda é o encarregado de desenvolver este trabalho em MaisCupão.
  • Chief Marketing Officer (CMO). Já ficou claro que o Marketing irá ser fundamental em uma start-up. Por isso, um director deste departamento é muito importante. Entre as suas funções estarão os estudos de mercado, a publicidade, a gestão das vendas ou o desenvolvimento do produto, entre outros. A CMO da nossa empresa é a Chloé Hamel de Monchenault.

Outros lugares que cada vez mais se estão a criar à medida que as start-up crescem são:

  • Chief Financial Officer (CFO). É muito importante ter alguém a cargo da gestão financeira da organização. Esse responsável deve planificar, executar e informar este tipo de operações.
  • Chief Information Officer (CIO). Um gerente de sistemas deve estar ao mando dos sistemas de informação para orientá-los aos diferentes planos de crescimentos.
  • Chief Technology Officer (CTO). Assume todo tipo de decisões que tenham um carácter cientifico e tecnológico.
  • Chier Comunications Officer (CCO). Desempenha uma das funções com valor acrescentado que talvez não se aprecie em um inicio. Uma boa equipa de comunicação é o elemento-chave para o sucesso de diversas empresas.

Indicação de tarefas

Incluindo a equipa diretiva, os membros da empresa devem saber exactamente quais são as suas tarefas a desenvolver. Se a empresa é suficientemente grande haverá departamentos ou equipas responsáveis em desenvolver uma função especifica. No entanto, quando está no início, isto não será possível e, muitas das vezes, terá de externalizar esse serviço, como a de um assessor, para poupar dinheiro.

Elaborar um plano de negócio: Questões legais

A protecção da sua ideia começa pela barreira legal. Deve fazer uma investigação exaustiva e até consultar com diferentes peritos sobre qualquer erro que poderia trazer consequências desastrosas à empresa. Há muitas start-ups que apesar do seu sucesso têm confrontado mais que uma vez com questões legais.  Este é o caso de Uber, que tem tido problemas tanto em Portugal como em Ibero América.

“É bom comemorar o sucesso, mas é mais importante prestar atenção às lições do fracasso.”

Bill Gates. Presidente de Microsoft.

Forma Jurídica

Esta decisão marca a sua empresa no grau de responsabilidade ou no número de pessoas que podem dirigi-la. As principais diferenças entre personalidade física e jurídica está no tipo de fiscalidade que se atribui à empresa.

Relativamente à tributação, deve ter cuidado com aspectos relacionados com: as obrigações e os incentivos fiscais. Estes últimos supõem um pequeno empurrão para evitar excessivos pagamentos. Outro tipo de ajuda costumam ser os empréstimos em condições favoráveis ou os subsídios.

 

Obrigações laborais

Independentemente de a empresa ter sido criada a pouco tempo, uma vez constituída como tal, deve estar sujeita à maioria das obrigações laborais que o resto das entidades. Não deixe ao lado a documentação: desde informes internos do empregado até os convénios colectivos.

Por isso, também não deve esquecer os aspectos relacionados com o tipo de contratação (de formação, meia jornada, indeterminado) nem as aportações à Segurança Social ou as primas de antiguidade.

Elaborar um plano de negócio: Área Económico-financeira

 

Já tem tudo o que precisa? Certeza? Quem irá pagar tudo isto que tem pensado? Exacto! Chegamos a uma parte fundamental: ao financiamento. As formulas para obter o dinheiro inicial têm mudado ao longo do tempo.

Nos dias de hoje, existe diversas maneiras de financiar a sua empresa. No entanto, isto também depende muito do potencial da sua ideia. Um bom exemplo disso é a Cabify, que há uns 11 meses fechou uma ronda de financiamento por volta dos 12 milhões de dólares. Esta, esteve liderada por Rakuten e Seaya Ventures. Falemos de das possibilidades nos planos de inversão inicial das empresas.

Incubadoras e aceleradoras

Embora pareçam o mesmo, há que diferenciar estes termos, já que as funções de ambas têm criado confusão.

  • Nas incubadoras, o serviço que aportam é de carácter intangível. Isto é, a ajuda é realizada através de serviços como Coaching ou Networking. Porém, em ocasiões, podem habilitar espaços físicos a empresas.
“Um dos grandes erros que as pessoas fazem é forçar o seu interesse. Você não escolhe as suas paixões; as suas paixões o escolhem a você.”


Jeff Bezos. Presidente e CEO de Amazon.

  • Nas aceleradoras, estas sim aportam financiamento. Para entrar a forma parte de uma, estas abrem um período de convocatória.  Uma vez seleccionada a ideia, começa-se o processo de orientação, tutorização ou educação digital.

Estas são algumas das aceleradoras mais importantes:

Wayra (Telefónica)LanzaderaConectorAlfacampEveris
Fintech (Bankia)Yuzz (Santander)Impact AcceleratorDemiumImpact Hub Madrid

3F (Family, Friends & Fools)

Não tem muito mistério, trata-se de conseguir o dinheiro através do teu entorno familiar e/ou amigos.

Media for equity

São investimentos que se dão especialmente a empresa tecnológicas. Acontecem quando uma empresa mediática dedica o seu investimento a uma start-up deste tipo.

Business Angles

Nesta opção, cada vez mais usada, uma pessoa física ou jurídica fornece dinheiro e contactos às start-ups. A totalidade do esforço económico que aprovisiona ascende entre 25.000 e 250.000 euros. Muitos destes investidores preferem o anonimato.

Os Business Angels (BA) não são uma brincadeira. Preste atenção às letras pequenas do contrato e tome consciência que irá perder independência do seu projecto. A maior parte destes investidores utilizam a sua participação para controlar o “bom desempenho” segundo o seu critério.

Family Office

É uma opção inverosímil para uma start-up, mas não é por isso que se tem que descartar. Las Family Office são empresas que gerem os investimentos de grandes patrimónios. Na Espanha, a mais conhecida é a Fundación José Manuel Entrecanales ou a casa Grande Cartagena

Venture Capital

A situação idónea para optar por esta formula de capital de risco, é que a sua empresa já tenha alcançado uma maturidade bastante sólida. Os graus de capital de risco são venture capital ou capital equity.

Crowdfunding: Financiamento colaborativo

Na margem dos grandes investidores este tipo de plataformas também ocupa o seu espaço no mundo do empreendedor.

  1. De contraprestação: aqui o bucker oferece uma recompensa em função do montante dado. É uma formula que funciona sobretudo em projectos de natureza cultural.
  2. De investimento: oferece-se uma acção a quem queira ser parte da empresa – neste caso um micro investidor – em troca de um montante estipulado.
  3. De empréstimo: é o modelo clássico, receptor do financiamento deve devolver o dinheiro recebido mãos um tipo de juro determinado.
  4. De donação: aqui não existe contra-prestação. Directamente alguém dá dinheiro a uma causa do seu agrado.

Exit: formula ao longo prazo

Segundo os principais peritos, uma estratégia deste tipo consiste em um plano de futuro no que uma start-up deve deixar de lado o financiamento de investidores para continuar o seu caminho. Para isso, terá tido que ultrapassar quatro etapas anteriores: Seed Stage, Early Stage, Growth Stage e Expansion Stage.

As principais formulas exit são: a saída à bolsa de valores, a recompra da participação a sócios, a venda ou fusão. Respectivamente à primeira, à primeira proposta, já foi criada uma bolsa de valores que só para start-ups .Um fato que pode concordar empresas como GoDaddy.

Elaborar um plano de negócio: Previsão de resultados

 

Chegamos à última secção que devemos incluir para elaborar um plano de negócio. Saber se o nosso negócio será ou não rentável. Para isso, devemos prestar atenção a dados verdadeiramente importantes.

No caso de MaisCupão, um dos nossos dados mais importantes são as taxas de conversão. Ao igual que muitas empresas digitais, medimos o tráfego entrante, mas nos concentramos mais na possibilidade de aumentar a taxa de conversão de esta visitas em vendas.  Claramente, o valor do cabaz médio tem muita relevância. Por isso, um dos erros mais habituais é concentrasse-se unicamente em conseguir tráfego.

Tendo como referência a nossa taxa de conversão também é importante obter qual será o ponto de equilíbrio. Este será obtido para ficar a conhecer que nos aproxima da rentabilidade.

 

Neste sentido, nunca há que desestimar aspectos como os resultados a cinco anos, tesoureira e o fluxo de caixa ou os ratios mais relevantes. Estes seriam o de fundo de maneio, o de autonomia financeira ou do período médio de pagamento.

Assim, acaba o nosso post sobre a melhor forma de elaborar um plano de negócio. Deste modo, já tem as noções básicas para levar ao papel o sonho. Demonstre que se pode levar à pratica e empreenda com ilusão.